Google

Crônicas Ocultas do Clã DBOF: Cap2 – Pt1

 cronicas-ocultas

Por: M. Barreto

Capítulo II: Máquina do Tempo

O dia apenas começara e a esperança renascia no horizonte cinzento. Um homem pôde destruir o mundo. Um homem poderá consertá-lo. O equilíbrio do universo poucas vezes se faz tão visível aos olhos humanos quanto esta simples dualidade. Com o universo sempre tendendo ao caos e à simplicidade, as formas organizadas e complexas tendem à destruição.

Assim foi com a espécie conhecida como Homo sapiens. Crescendo e se tornando cada vez mais complexa e organizada, a humanidade tentou ir contra as leis da natureza e falhou, pagando com o evento da quase extinção. Por ironia do destino, a simplicidade foi novamente atingida.

Um homem que respeita e entende as leis da natureza em sua forma mais pura, a física, sabe que é impossível ir contra suas leis. Mas se esse homem é obstinado, encontrará as constantes e variáveis que lhe permitirão obter uma Hipótese. Se essa Hipótese for confirmada com experimentos se tornará uma Teoria. Se a Teoria for comprovada por Leis pré-existentes se tornará uma nova Lei.

Assim foi com uma criança que ainda no começo de sua vida foi fascinada pelas ficções de viagem no tempo. Quando adolescente, por diversão estudou as teorias e leis que poderiam impedir ou facilitar produzir uma “máquina do tempo”. Quando no início da vida adulta corria por outros caminhos, no instante em que o enigmático e trágico fim do mundo se iniciara novamente ele se voltou por se antigo interesse. Todavia, desta vez era à sério. Estudou, experimentou e analisou até atingir o nível de conseguir deslocar o fluxo do tempo, permitindo suas tão sonhadas viagens no tempo.

Veja também:  Dragon Ball Z - Novo filme terá 2 horas de duração + Teaser Trailer

Hoje, seus sonhos vão se realizar. Finalmente, seria o que nunca foi, alguém que nunca viu. Enquanto contava suas descobertas ao amigo fiel de tantos anos sentia um peso sair das costas. O peso de salvar toda a humanidade, não aqueles estavam vivos, mas todos os que viveram ou viveriam. Não estava mais sozinho em sua realização, de fato nunca estivera, entretanto agora podia desfrutar de suas conquistas com a felicidade de partilhá-la com alguém.

Denis ainda estava atônito com a revelação do Doutor. Este por sua vez experimentava uma felicidade que não saberia descrever de outra forma se não fenomenal.

–        Como será possível construir uma “Máquina do Tempo”? –pensou Denis.

O Cyborg sentou na beira da escrivaninha e olhou alguns dos recortes da mesa, sem prestar atenção. Sua cabeça estava cheia de mais. Mesmo assim, um papel em particular lhe chamou a atenção.

“Gamma encontrará tudo o que você quiser”. O panfleto datava de outubro de 2009. Gamma era um site da Internet possuidor de um programa de busca que encontrava qualquer site referente às palavras chaves escolhidas. Denis lembrou que o Gamma era sua página principal.

  Voltou os olhos para o Doutor quando ele retirava uma capa cinza de cima de algo. Ao puxar o longo pano ele revelou um computador, uma câmera de cinema e um longo tubo atrás do computador.

–        O que é isso? Você deve estar se perguntando – disse o Doutor fitando Denis.

–        Realmente… o que é? –concordou Denis.

–        Isso –apontou para o tubo. É o Alterador de Freqüência por Fluxo Termodinâmico, o AFFTD. Esta é a pena que reescreverá as páginas do passado, presente e futuro! –falou enquanto saltava e caía girando no longo sofá.

Veja também:  Crônicas Ocultas do Clã DBOF: Cap 3 pt 2

–        Humm… –Denis coçou a cabeça. Então qual é o plano? Você vai me mandar de volta no tempo e eu vou impedir Dario?

–        Isso seria o ideal, entretanto é improvável –falou Doutor se aproximando sem desviar o olhar dos olhos de seu amigo. Sente-se, vou explicar de uma maneira fácil como a coisa funciona.

Denis sentou no sofá e preparou-se para ouvir um longo discurso. Sempre que o Doutor dizia que ia explicar algo de maneira fácil ele se enrolava demais e deixava tudo muito confuso. Doutor levantou-se e ficou do lado do quadro-negro.

–        Quando eu comecei a pensar num modo de voltar no tempo, eu como você e a maioria pensei em enviar uma pessoa de volta no tempo –falou o Doutor com um leve traço de professor na voz. De acordo com a Teoria das Cordas, o universo é um multiverso cuja diferença entre um tempo ou lugar e outro é apenas a freqüência de vibração da corda. Ou seja, para romper o continuum tempo-espaço seria preciso mudar a freqüência de um objeto. Para facilitar, pense num violão em que se toca uma corda em uma certa freqüência., produzindo um certo som. Agora, se tocarmos de novo a mesma corda em outra freqüência o som que é gerado será outro totalmente diferente. Está vivo? –perguntou com uma engraçada cara de apreensão.

–        Sim, até agora eu estou entendo mais ou menos.

–        Isso é o que o AFFTD faz. Com uma carga altíssima de energia ele pode alterar a freqüência de um objeto e o transporta para outro lugar ou tempo.

–        Quanto de energia é preciso?  -perguntou Denis.

–        Bem, para enviar uma pequena quantidade de energia quase sem massa ao passado, seria mais ou menos – Doutor sentou–se na cadeira giratória com a posição clássica da estátua “O Pensador” e então disse sombriamente. Uma explosão mil vezes maior que a Bomba de Hiroshima, trocando em miúdos… –reclinou-se para trás e ajeitou os óculos no rosto. A Energia de uma Bomba de Hidrogênio.

Veja também:  Crônicas Ocultas do Clã DBOF: Cap7 pt1

Continua…

 Visite-nos no Orkut.

2 Comments

Como diria Yoda: com a palavra você está