Google

Crônicas Ocultas do Clã DBOF: Cap5 pt4

Por: M. Barreto

Capítulo V: Conflitos Internos

Era uma rua extensa de belas casas e jardins bem cuidados. Toda limpa, sem um paralelepípedo fora do lugar. Dario estava chegando em casa com seu carro novo. Estacionou em sua garagem e foi até a porta da frente. Sentia-se triunfante demais para entrar pela porta lateral. Pegou a chave e encaixou-a na fechadura. Parou um instante para refletir se tinha esquecido algo. Balançou a cabeça negativamente e entrou. Jogou o paletó de lado e tirou os sapatos, puxou a gravata e sentou-se no sofá com um sonoro estrondo.

–         Querido, já chegou? –disse uma voz aguda vindo do quarto.

–         Sim, estou no sofá, Lucy meu amor –Dario respondeu.

Uma mulher loira alta, branca, de pouca cintura e busto, com um rosto sorridente e maquiado saiu de um cômodo e foi em direção a Dario com um sensual rebolado. Dario se deliciava com cada passo. Ela se sentou em seu colo e lhe deu um longo beijo.

–        Lucy, tudo está saindo como devia –Dario disse com um franco sorriso no rosto. Em breve estaremos no topo do mundo.

–        Tudo está dando tão certo que chega a impressionar, não acha? –ela disse com um gritinho de alegria. Depois da eleição e daquela mensagem, tudo mudou em nossas vidas. Eu te amo cada dia mais!

Ficaram ali, abraçados durante algum tempo. Depois jantaram. Lucy dormiu cedo. Dario ainda teria que trabalhar mais um pouco. Eram 10:42pm de 24 de janeiro quando Dario viu a página da DBOF no Gokut pela última vez em sua vida. Nem ao menos entrou nos tópicos, apenas observou sua página principal com um sorriso nostálgico no rosto. Por sorte o tópico de Adriana chamado “Guerra” não lhe chamo a atenção. Fechou o Gokut e abriu o Gamma. O Slogan “O Mundo é seu” nunca lhe pareceu tão oportuno. Seu celular tocou.

Veja também:  Crônicas Ocultas do Clã DBOF: Cap 11 pt2

–        Dario –disse com uma voz séria e serena.

–        Senhor, a Empresa Om e Lete já disponibilizou os veículos que o senhor queria –falou seu secretário.

–        Leve os para meu gabinete

–        Gabinete senhor?

–        O outro…

–        Certo, entendi. Será feito.

–        E minha encomenda?

–        O terminal do servidor já está online. Foi ativado hoje cedo.

–        Qual o nível de segurança do terminal? –perguntou com um tom um tanto preocupado.

–        Delta, mas…

–        Mas você o passará para alfa agora mesmo –disse gentilmente.

–        Isso mesmo senhor. Até amanhã

–        Até amanhã, Erick.

Todos levaram um susto. Adriana abraçou Karol. Willian falou com Leandro. Renan foi falar com os outros todos. Após um minuto ou dois,  Karol perguntou.

–        Porque vocês estavam indo embora? –disse com uma voz meiga. Dava para ouvir uma discussão de longe.

Karol era baixinha com um corpo musculoso, embora ainda fosse um pouco “cheinha”, deixando-a ainda mais bonita. Seu sorriso meigo e voz delicada preenchiam qualquer local.

–         Pra resumir, nós temos um modo de resolver as coisas pacificamente e Mauricio e os outros não querem –disse Will com um sorriso.

–         E porque não? –Peguntou Renan.

Renan era um homem baixo, de expressões fáceis e que tentava sempre se enturmar, quase sempre sem sucesso.

–        Porque eles não têm um plano –disse Mauricio dando de ombros. Eles querem que a gente vá até o Dario e peça para ele por favor não destruir o mundo.

–        E como ele é uma boa pessoa, claro que ele vai atender –completou Xiku

Karol abraçou Willian bem apertado e depois foi na direção de Mauricio e repetiu o gesto com a mesma intensidade e duração. Ambos entenderam o recado.

Veja também:  Crônicas Ocultas do Clã DBOF: Cap6 pt1

–        Só uma perguntinha bem besta… –Leandro disse. Como vocês sabem que o Dario vai destruir o mundo?

Leandro era branco, alto, com um rosto bonito e sério.

–        Mauricio recebeu uma mensagem do Futuro avisando isso –responde Willian.

–        Do Futuro? Ah ta, até parece –Leandro falou cético.

–        O pior é que essa parte é verdade e já foi digamos confirmada por nós sete –respondeu Pedro.

–        Legal –Disse Renan entusiasmado. E quem enviou?

–        Miray Denis –respondeu Danton.

–        Miray Denis? Denis do Futuro? –Respondeu Karol. O meu Denis?

–        O que tem eu? –disse a voz de Denis na porta;

–        Denis? –suspirou Karol.

–        Karol? – arfou Denis.

Os dois se abraçaram longa e apaixonadamente. Os dois namoravam há 3 anos pela Internet e até hoje nunca haviam se visto.

Vitor e Neo também estavam chegando. Vitor e Will se cumprimentaram, Neo e Thiago e depois mais uma série de abraços e apertos de mão. Denis e Karol se soltaram e Denis falou com todos. Mauricio foi o último.

–        O que está acontecendo aqui, brow? –Denis perguntou enquanto abraçava Mauricio.

–        Mais uma discussão de moderadores, e como sempre Will e Swan estão do mesmo lado, contra eu e os rapazes –Mauricio sussurrou. Eles querem falar com o Dario abertamente.

–        O quê? –Exclamou Denis, ainda sussurrando.

–        Eu sei, é burrice –disse Mauricio se afastando.

–        Alguém ai pode fazer um resumo do que aconteceu aqui? –Perguntou Vitor.

Vitor era um gaúcho-nipônico gordinho.

–        Eu faço –respondeu Mauricio. Acho que não deve chegar mais ninguém mesmo. Anteontem quando eu acordei e liguei o computador, tinha uma mensagem logo na tela principal. Um vídeo enviado por Denis do Futuro dizendo que Dario iria causar um holocausto nuclear e que os sete moderadores deveriam se unir para detê-lo. Com ajuda de um cientista do futuro, ele enviou essa mensagem e muitos arquivos úteis que precisaria, Infelizmente o vídeo era pesado demais para enviar a você ou carregar no meu pendrive. Agora, estávamos discutindo qual seria a melhor forma de deter Dario. Eu e os rapazes achamos que temos que agir nas sombras e atacar tanto Dario quando a base militar com as armas nucleares. Já Willian e Swan acham que devemos convencer Dario de que isso tudo é uma insanidade –Mauricio arfou um pouco e disse. Acho que isso resume toda a situação atual..

Veja também:  Shinobi Legends: Primeira imagem de Yan, o protagonista!

–         Doideira, mano –disse Neo. Viagem no tempo?

Neo era moreno de sol, usando óculos escuros e roupas de marca.

–         Essa parte é verdade… –disse Adriana olhando para fora.

–         Alguém quer vir com a gente e tentar uma solução pacífica com nosso ex-líder? –perguntou Will.

Todos se entreolharam. Ninguém fez menção a seguí-lo. Will fechou a cara e saiu puxando Adriana pelo braço.

–         Will! –gritou Mauricio.

–         O que foi?

–         Não conte a ele sobre nós.

–        Não vou –disse olhando por cima dos ombros.

Não tenha medo de confrontos. Até os planetas se chocam, e do caos nascem as estrelas.

Charles Chaplin

Fim do capítulo V.

Próximo capítulo: You could be mine

Visite-nos no Gokut.