Google

Crônicas Ocultas do Clã DBOF: Cap10 pt2

Crônicas Ocultas capítulo 10

Capítulo X: No relógio do fim do mundo são 23:42

Leia o Capítulo 1 desta saga aqui.

Thiago estava atirando contra uma fileira de cinco soldados em sua frente. Encurralado em uma parede da base, com a floresta a sua frente e a montanha acima, ele não tinha uma rota de fuga. O fogo cruzado estava sendo mais favorável para os soldados de Dario.

– Pedro, dá pra me ajudar aqui! –Gritou Thiago ao rádio.

– Tô meio ocupado aqui, Thiaguxu… – Pedro falou calmamente.

Pedro estava cercado por 8 homens, perto da estrada, com uma enorme montanha a suas costas e os tiros lhe levando de encontra a ela.

O céu ainda estava cheio de muitos outros guerreiros em formação de combate, prontos para auxiliar no fogo ou evitar fugas. Ambos os garotos estavam sem saída. Agora já eram 15 atirando em Thiago e 16 em Pedro.

Thiago voou por baixo deles com os propulsores no máximo e conseguiu ganhar alguma vantagem até chegar na outra beirada da base, onde podia resistir melhor aos ataques,  no entanto os estabilizadores de vôo já estavam quebrados àquela altura do campeonato e ele foi em queda livre ao chão com todos os soldados acima dele atirando. “Não acredito que vou morrer aqui, sem nunca ter atuado em uma grande peça”. Ele fechou os olhos e viu os palcos que sempre adorou e o rosto de sua mais linda companheira de teatro. Ele soltou os dedos do gatilho e esperou o inevitável.

 

 

A gigantesca fortaleza alcança as alturas exalando fumaça e fogo. Em pouco tempo estaria estabilizada e os escudos antigravitacionais a deixariam pairando no ar. Dentro dela, em um lado do hangar estavam Karol e Danton saindo do carro após a batida. Estavam bem, no entanto não havia outra possibilidade de sair. Mal sabiam eles que a estavam voando agora.

Do outro lado do hangar, Adriana surrava William, o qual não reagia aos golpes da bela morena.

– O que aconteceu, Will? Não pode lutar contra uma mulher? –Adriana provocou à distância.

Will fazia grande esforço para continuar de pé, então sentou-se no chão, para surpresa de Adriana e ficou olhando diretamente para a ela. Ele estava com uma expressão séria, como a de um irmão mais velho que viu a irmã fazendo algo errado.

Veja também:  Cronicas Ocultas do Clã DBOF: Resumo dos 10 primeiros capítulos

– Em cada uma de nossas épicas brigas na DBOF, eu sempre te respeitei –Willian falou em tom de desaprovação. Ainda que discordasse de tu, eu jamais parti para cima com tudo, como fiz com outros que me afrontaram. Sabe por quê? –Willian questionou, obtendo uma resposta negativa de Swan. Porque você sempre era coerente, inteligente. Diferente de Mauricio e dos outros, você não era passional nas suas discussões. Mas a diferença entre você e ele, é que ele sabia usar sua inteligência a favor de seus sentimentos e você escondeu os seus atrás dela. E uma hora, eu e ele sabíamos que você explodiria todo esse amor, ódio e tesão em cima de alguém. Por isso, ambos nos aproximamos de você, porque a gente sabia que tínhamos que esvazia aos poucos, senão no dia que a explosão ocorresse, a pessoa no centro ficaria feliz, mas todo o resto iria pelos ares. Sua família, seus amigos, sua vida iria pelos ares. E aos poucos tu veria que nada valeu a pena.

– Como você acha que sabe tanto sobre mim, idiota? –Adriana continuou provocando visivelmente abalada.

Willian riu e deu de ombro.

– Quando se observa uma pessoa com carinho, a gente consegue perceber seus dramas e dilemas –Ele levantou-se. Só pessoas que te amam de verdade percebem essas coisas e não as usam para te manipular e se dar bem.

Adriana, com lágrimas e fúrias nos olhos, partiu em disparada para cima de Willian.

 

O braço metálico da armadura branca de Dario se regenerava para espanto de Xiku. Dario fulminou-o com o olhar, apontou-lhe a arma do outro braço e eles ficaram alguns segundos com as armas apontadas um para o outro. Depois dispararam sem dizer nada.

A armadura de Dario disparava muito mais forte e a frágil armadura de Xiku não resistiria por muito tempo. Por outro lado, a espessa armadura de Dario resistia bem aos tiros do pernambucano.

Veja também:  Crônicas Ocultas do Clã DBOF: Capítulo 12 - Final

Xiku saltou com “mortal” para trás e se impulsionou para frente voando na direção de Dario, lhe dando um grande gancho de direita que fez o vilão cair para trás. Começou uma sessão de socos e chutes, dos quais Dario não mostrou conseguir se evadir. Caído no chão, Dario aponta, agora, as duas armas para o oponente e atira, fazendo vários buracos no exoesqueleto verde, com alguns tiros passando de raspão nos membros de Xiku. Como manobra evasiva, o moderador da DBOF lança duas de suas minas, uma acertando o político e a outra caindo no chão. As explosões lhe permitiram sair da linha de fogo e se preparar, enquanto estava atrás de um grande stand.

– Xiku, tenho que lhe agradecer –Dario disse em tom de sarcasmo. Se não fosse você, a Lucy não teria sido expulsa da DBOF naquela confusão a anos atrás, eu não teria tomado novamente o controle da comunidade e a destruído, vocês não teriam a retomado, me expulsado e eu não teria largado sentimentos idiotas como essas fracas amizades de internet para me tornar o imperador do mundo –Ele fez uma pequena pausa, checou o nível de plasma e então continuou bem mais firme. Basicamente, você é o responsável por toda essa dor e sofrimento dos seus amigos.

Ele sabia que era uma armadilha, todavia o ódio que sentiu naquele momento foi tão grande que partiu para cima de Dario atirando com tudo o que tinha. Contudo, foi recebido igualmente com rajadas intensas de tiro que lhe estraçalharam a armadura, caindo como uma pedra no chão.

– Ora, garoto, você sabe que é verdade! –Dario disse enquanto se aproximava de Xiku e pisava em seu peito afundando o pé cada vez mais. De todos os que vieram aqui hoje, você é o único a quem devo algo. Obrigado.

 

No instante seguinte, Dario estava caído no chão pressionado por uma grande massa de metal da qual ele não conseguia se desvencilhar. Segundos antes, só havia conseguido ouvir um grande estrondo, seu corpo fora jogado de lado e aquele peso em cima dele apareceu.

Veja também:  Cavaleiros do Zodíaco Gemini: Cap 3 - A Face da Maldade

Xiku se contorceu para olhar. Achou que as vistas estavam lhe confundindo, contudo o que via era realmente o que parecia ser: Uma gigantesca Baleia Orca alaranjada como o por do sol e feita de metal em cima de Dario. De repente, uma voz saiu dela.

– Ei amigo, está tudo bem? –a voz de Danton lhe chegou reconfortante nos ouvidos.

– Ah Danton, como é bom ouvir sua voz garoto –Xiku diz deitando novamente.

Ele estava sangrando muito e rezava para que nenhum ferimento fosse muito sério.

Em alguns instantes, a Orca laranja foi erguida no ar e Dario surgiu novamente.

– Dentre todos os moderadores, você acha que a única criança seria páreo para mim, Danton? –Dario diz enquanto lança-o em Xiku.

Antes de cair, o exoesqueleto se modifica e ganha a aparência de um Urso polar novamente e ele consegue cair depois do combalido amigo que exclamou “wow”, saltando novamente com fúria animalesca para cima do político usando com uma forte patada que o derruba. Logo em seguida, Dario se ergue rapidamente e atira seu plasma em Danton que é jogado longe. Karol aparece por trás de uma parede e vai até Danton. Xiku observa e tenta se levantar.

– Karol, pegue o Danton e saia daqui –Xiku falou com o mesmo tom de quando se despediu de Thiago e dos outros para se sacrificar.

– Mas Xiku… –Karol diz temerosa.

Ele se levanta com muita dificuldade.

– Vai ficar tudo bem, já fizeram mais do que deviam, apenas vão –Xiku olha pra trás com um sorriso e Karol lhe acena positivamente. Dario, você disse que eu causei isso tudo, então será justo que eu também termine. Agora somos eu e você até a morte.

– Será a sua morte! –Dario diz apontando-lhe as armas.

– Eu disse que seria até a morte, não que seria a só sua –Xiku gargalha.

Continua…

Entre na comunidade Oficial do Herói X no Orkut!

Com a palavra você está