Google

Lanterna Verde – Filme do superherói decepciona o universo

Green Lantern Poster lanterna verde

Por: Dr. M. Barreto

Lanterna Verde foi um filme mediano. Provou que a Warner e DC sem Christopher Nolan não sabe fazer filmes. Muitos efeitos especiais, muita tentativa de realismo forçado, uma atuação fraca de Ryan Reynolds, mas o mais importante foi a falta do poder da luz do lanterna verde: A força de vontade aliada a imaginação.
Hal Jordan, um excelente piloto, mas totalmente irresponsável, é escolhido para ser um dos protetores da justiça intergaláctica na Tropa dos Lanternas Verdes. A mesma premissa tanto do filme live action quanto do filme animado “Primeiro Vôo”, porém este se sai muito melhor que o de Hollywood, mesmo que ainda não seja espetacular. Aliás, esse é o adjetivo para “Lanterna Verde: Cavaleiros Esmeralda” filme que conta a história de vários grandes lanternas enquanto uma situação de iminente destruição de OA acontece.
Voltando ao filme, há muitas cenas boas que foram mal feitas, muitas cenas sem nexo umas com as outras. Mas vamos por partes.

Lanterna Verde o filme

  1. Hal Jordan

O fato dele ser mulherengo, sarcástico e inconseqüente foi bem explorado, no entanto na simulação de vôo, ele sacrificar sua parceira, Carol Ferris (Blake Lively), para derrota os dois Sabres não tripulados foi algo inútil, pois não foi assim que eles os venceu. O modo com Hal é levado até Abin Sur (Temuera Morrison) e a passagem do anel foi uma cena bem construída.

Guardiões do Universo lanterna verde

       2.  Em OA:

Aqui praticamente só temos erros. 1. Os Guardiões do Universo são ridiculamente feios; 2. As histórias são contadas apenas para Sinestro (Mark Strong), como a história de Parallax; 3. O treinamento de Hal estava bem legal com ele conhecendo o calmo Tomar Re e sendo treinado por Killowog, mas poderiam ter se passado ao menos alguns meses nesse treinamento e não apenas dois minutos; 4. Por que Sinestro leva apenas 10 lanternas para enfrentar Parallax, ao invés de levar 100 ou 1000 e derrotá-lo de longe com apenas um tiro em conjunto com poder de destruir uma galáxia?

Veja também:  Star Wars Darth Vader 25: Capa da HQ é sensacional!

blake lively green lantern carol ferris

      3.  Na Terra:

O grande vilão, Dr. Hector Hammond (Peter Sarsgaard) foi muito mal feito, parecia uma bolsa escrotal ambulante e não deu nenhuma emoção. Amanda Waller (Angela Bassett) foi mais uma estragada e apagada no filme, apenas uma condutora entusiasta ao invés da agente durona. Carol Ferris foi a única salvação desse filme, mais por beleza do que atuação, obviamente.

Green Lantern Parallax filme
4.   Parallax:

Por falar em efeitos mal feitos, Parallax foi uma grande decepção. Os produtores devem ter gostado da idéia Galactus em Quarteto Fantástico (o qual eu também gostei), mas fizeram da forma errada e ficou muito estranho. Sem contar que um ser que destrói mundo, não seria ferido por um torpedinho como foi mostrado no final do filme. Além de tudo, ele era muito idiota para não saber que seria puxado pela gravidade do Sol daquela forma. E mais, como o ser mais poderoso do universo foi destruído por um lanterna verde que teve apenas um dia de treinamento?
Nesse filme faltou além do citado treinamento, que quando bem feito tornam-se marcas registradas como em Rocky e Karate Kid, missões antes de enfrentar o fim do mundo. Faria o personagem mais forte, crível e melhoraria a história. A cena onde Hal foi pedir permissão para os guardiões e voltou de mão abanando, foi apenas um motivo para o discurso dele e é totalmente desconexa do restante do roteiro.
O filme arrecadou apenas 219 milhões de dólares, sendo seu orçamento de 200 e assim não garantiu a sequencia. Agora, Superman – Man of Steel e Batman – Dark Knight Rises são as únicas cartadas da DC Comics contra a Marvel e seus Vingadores e Homens de Ferro.

Veja também:  Batman - O Legado do Morcego: parte 1 - O Cavaleiro das Trevas

Adicione-nos no Youtube, Facebook e Twitter.

Com a palavra você está