Google

Crônicas Ocultas do Clã DBOF: Cap 4 pt 3

morumbi-dbof

Por: M. Barreto

Capítulo IV: Das profundezas

Will levou os amigos para sua casa e começou a arrumar suas coisas. Pedro ficou vendo TV apreensivo na sala querendo ver o noticiário de esportes, enquanto Thiago queria ver desenhos. Mauricio dormia sentado no sofá quando o gaúcho lhe acordou.

–               Cara, usa o meu computador e manda uma mensagem para Xiku e Adriana. Se eles já tiverem alerta será mais fácil para nós.

–               Bem pensado –disse Mauricio levantando meio sonolento. O Danton mora não muito distante dessa cidade, vamos encontrá-lo até o final do dia, eu acho.

–               Viajamos de noite e chegamos de manhã cedo –Will falou pensativo.

–               Isso ae –falou Mauricio feliz por ter alguém que pudesse acompanhar o seu raciocínio rápido.

Estar na Internet novamente era muito estranho. Parecia que fazia meses que Mauricio não entrava. Vários amigos lhe perguntavam no Gokut para onde ele tinha ido. Deixou uma mensagem na sua página principal dizendo que estava na praia, para que todos vissem. Julia também tinha escrito “Mon amour, para onde vc foi? Me liga quando estiver livre. Te amo, beijos.”. Mauricio estava tão envolvido com seu dever que esqueceu completamente dela. Mandaria uma mensagem do celular antes de sair do sul, pensou. Sua caixa de e-mails estava igualmente cheia, com vários avisos e inutilidades. Deveria ir ao plantão no dia seguinte, pagar a parcela da formatura e muitas outras coisas. Apagou o inútil e voltou ao Gokut. Entrou na DBOF e enviou uma mensagem para Xiku e Adriana.

“Xikão e Swan, vamos precisar da sua ajuda em uma empreitada que é maior do que nossas vidas. Recentemente, recebi um aviso de que nosso ex-líder, Dario se tornou político e está prestes a iniciar a terceira guerra mundial, resultando na extinção da raça humana. Isso não é uma brincadeira. Estou na casa do Will, junto com Pedro e Thiago, iremos buscar Danton também. Estou enviando para seus e-mails uma cópia dos arquivos que tenho sobre vocês dois para convencer sobre como minha fonte é segura. Estejam no aeroporto de Pernambuco prontos para viajar para o Alagoas e nos esperar. Will vai pagar as passagens é só pegar e entrar no avião. Depois eu mandarei o horário dos vôos e a que horas devemos chegar. Acreditem, isso não é brincadeira mesmo!!!

 

 Atenciosamente,

 

Mauricio”

 

Veja também:  Crônicas Ocultas do Clã DBOF: Cap7 pt1

Simples, mas direto. Sabia que precisaria de mais, então pediria para Pedro e os outros escreverem também. Estava especialmente cansado agora, o dia estava sendo muito puxado. Talvez o CO estivesse fazendo efeito ainda. Sentou no sofá novamente e dormiu um sono tranqüilo.

 

Will acabara de se arrumar e estava pronto para sair. Olhou para Mauricio dormindo, com Pedro e Thiago de cabeça baixa vendo TV. Estava sendo muito difícil para eles aceitar que seu time havia perdido.

Ele ainda não estava totalmente certo se entendia o que estavam fazendo, todavia sabia que isto era algo que devia ser feito. Pegou as chaves do seu carro. Havia comprado fazia pouco tempo. Não queria ser mais o filhinho do papai e resolveu que só teria um carro quando ele mesmo pudesse arcar com as contas. Finalmente era independente agora. Chamou os outros. Mauricio acordara assustado, enquanto Pedro demorava a levantar e Thiago parecia já estar melhor da decepção.

Foram para a estrada. Pelo laptop de Willian, Thiago e Pedro mandaram cada suas mensagens para Xiku e Adriana Swan.

 

Chegaram à cidade de Danton às 6:06. Sabiam que ele estaria na rua atrás do colégio brincando com alguns amigos da escola. Estranhamente, o arquivo de Danton era o que continha os dados mais precisos e detalhados. Avistaram Danton no local indicado. Só haviam visto fotos dele uma vez, pois em seu perfil sempre usava fotos de animais como Orcas e Ursos polares. Ele era um garoto branco, de 14 anos, baixinho e com cara de sono.

Mauricio explanou seu plano junto ao Doutor. Este havia enviado uma falsa identidade e documentos que permitiriam a viagem de Danton.

 

Eram 6:27. Danton estava acabando de brincar com seus amigos e se dirigia para sua casa. Andava olhando os pés, não tinha muita vontade de olhar na cara daqueles que não gostavam dele. Todos achavam que ele “se achava muito” e era mimado. Eu farei algo muito grande algum dia, pensou alto. Subitamente, sente duas pessoas segurarem seus braços e o suspenderem. Ele tentou espernear, contudo os dois homens eram mais fortes e o levaram para frente muito rápido. Havia um carro fechado, ele ainda tentou se desvencilhar, ma foi jogado no carro quando a porta abriu. O carro arrancou. Ele nem ao menos conseguiu gritar de tanto medo que sentia.

Veja também:  Crônicas Ocultas do Clã DBOF: Cap2 - Pt1

 

Era uma bela tarde aquela. Um homem jovem estava sentado em seu escritório novo, decorado e impecável. Nada podia estar fora dos rumos naquele momento. O homem apreciava o Sol se pondo. Não era alto nem baixo, branco, um pouco barrigudo, de terno preto desabotoado e gravata vermelha folgada. Estava passando da hora de sair, mas não ligava. Adorava estar ali. Lutou muito para estar nessa posição. Alguém bateu à porta e esta se abriu lentamente.

–        Senhor Dario, tenho um memorando para o senhor assinar –disse um homem baixinho com aparência fatigada.

–        Deixe na mesa que depois eu mesmo levo antes de sair –Dario falou alto olhando por cima do ombro com gentileza na voz.

–        Sim senhor –o secretário colocou o documento sobre a mesa e quando se virou para sair…

–        A encomenda já está conosco? –Dario falou em tom mais baixo.

–        Ele acabou de ser pego senhor –o secretário também diminuiu o tom de voz.

–        Obrigado. É só –Dario voltou a olhar a paisagem, contudo exibia um franco sorriso.

O secretário saiu e deixou o deputado sozinho novamente. Aqueles seriam tempos em que teria que ter pulso firme e Dario não podia se dar ao luxo de errar. O destino do Brasil e do mundo inteiro estava em suas mãos. Afinal, no fim da semana, ele seria Presidente.

 

Mauricio percebeu que Danton teria que ser abordado de um jeito diferente dos outros. Teria que ser raptado. O próprio Doutor sugeriu isso no arquivo de Danton.

Thiago ainda tentou retrucar, mas Mauricio e Willian eram veementes em suas argüições, convencendo Pedro primeiro. Thiago se convenceu pouco depois. Por fim, Will aproximou o automóvel de Danton e fez sinal para Mauricio e Thiago fora do carro. Os dois correram na direção de Danton, o agarraram pelos braços e os jogaram na no carro, no mesmo instante em que Pedro abria a porta. A dupla entrou também. Will deu partida no carro saindo em alta velocidade.

Veja também:  Crônicas Ocultas do Clã DBOF: Cap2-pt2

–        Quem são vocês –balbuciou Danton de olhos fechados.

–        Somos nós Danton, relaxa –falou Thiago acalmando o menino.

–        Pedro, Thiago, Mauricio e Will –falou Pedro, fazendo Danton abrir os olhos.

–        O que vocês estão fazendo aqui! –berrou Danton indignado.

–        Viemos buscar você para a maior aventura jamais vivida –disse Mauricio. Vamos todos salvar o mundo! –falou entusiasmado ainda em tom sério.

–        Está dentro ou fora? – perguntou Will enquanto virava o volante subitamente em uma curva.

Danton olhou todos os amigos um a um. Thiago, Pedro e Mauricio sorriam convidativamente. Willian estava sério.

 

Xiku estava chegando no aeroporto com sua mala e mochila. Não acreditava que estava realmente fazendo aquilo. Se fosse uma brincadeira, daria uma boa surra naqueles três, como Dario poderia destruir o mundo? Pensou. Chegou ao balcão e pediu sua passagem. Olhou em volta para ver se Swan estava por ali.

 

Adriana ficou sentada na poltrona do aeroporto durante meia hora esperando o avião chegar. Não sabia se Xiku havia chegado, todavia não estava interessada em companhia naquele momento. Estava cometendo uma loucura em sair de casa daquele jeito. Willian e os outros teriam que explicar muita coisa quando os encontrasse. Pelo menos foi bom sair de casa depois de tanto tempo.

 

–         Estou Fora! –berrou Danton.

Gostaria que isso não tivesse acontecido na minha época – disse Frodo.
Eu também – disse Gandalf. – Como todos que vivem nesses tempos. Mas a decisão não é nossa. Tudo o que temos de decidir é o que fazer com tempo que nos é dado.

O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel.

Fim do Capítulo IV.

Próximo Capítulo: Confrontos internos

Visite-nos no Gokut.