Google

Crônicas Ocultas do Clã DBOF: Cap6 pt1

Por: M. Barreto

Capítulo VI: You could be mine

Incrível como os seres humanos em sua busca por amor, aceitação, glória ou poder ferem e magoam outros seres humanos, alguns distantes, outros próximos, tendo ou não essa intenção.

“Os fins justificam os meios” disse Maquiavel, Contudo, realmente há um fim? O objetivo a ser alcançado é apenas um ponto, a linha do tempo continua a correr. As conseqüências de nossos atos nos assombraram por todo o caminho depois da conquista de nossa meta. E uma verdade ainda mais assustadora pode sobrevir, será que o objetivo pode ser realmente alcançado, será como um busca ao Coelho branco?

Aqueles que partem em uma jornada devem aprender que durante esta nossos pés podem nos levar para caminhos muito além dos quais imaginávamos inicialmente, bem como obter novas metas. Se estas metas são maiores ou menores, melhores ou piores, saberemos quando enxergarmos o tipo de pessoas que nos tornamos em nossa peregrinação e o que ansiamos, desejamos, aquilo que nos torna completos.

Quando as respostas forem encontradas, a jornada terá terminado e dentro de nossos corações saberemos que o fim da jornada é o inicio de uma nova. Um ciclo que terminará apenas no instante em que todos neste planeta azul alçarem um fim coletivo.

Adriana e Willian partiram sem olhar para trás novamente.

Foram para um hotel e reservaram 2 quartos. Willian sabia que seu dinheiro não duraria muito, porém ainda conseguiria pagar por conforto alguns dias mais. Adriana estava tremendo, contudo não estava frio, muito pelo contrário, fazia um insuportável calor. Willian a observou por alguns instantes. Ela sempre lhe pareceu tão forte pela Internet que ele não a imaginara que ela ficaria tão abalada depois da discussão.

Adriana –Will chamou docemente. Vai ficar tudo bem, fique tranqüila.

Ela sorriu como se aquilo tivesse sido um elogio. Willian fora aquele que mais a irritara em 2008, quando a DBOF foi fundada. Seu jeito impulsivo, agressivo e com brincadeiras pesadas a deixava furiosa. Eles até mesmo empataram na votação para moderador, sendo ambos eleitos. Porém o tempo passou e Adriana viu nele mais do que um garoto de piadas maldosas, viu um homem capaz de liderar a DBOF, capaz de ser gentil ou severo na hora certa. Ela o admirava por isso.

Dormiram em seus quartos e acordaram tarde no dia seguinte. Embarcaram em um ônibus que os deixaria perto do gabinete pessoal de Dario. Chegaram por volta do meio dia e ficaram esperando em frente ao prédio onde ele trabalhava.  O avistaram perto da uma hora da tarde quando ele voltava do almoço.

Dário! –gritou Will.

O político olhou em volta e encontrou Adriana ao lado de um homem que pela descrição só poderia ser o Willian.

Adriana? Willian? O Que? –Dario estava confuso. Como vocês chegaram aqui?

Oi… –começou Adriana.

È uma longa história Dario –disse Will atropelando Adriana propositalmente, pois ela poderia falar demais. Podemos conversar em outro lugar?

Venham ao meu escritório –Dario ainda estava boquiaberto olhando de Adriana para Will, sempre demorando um pouco mais na primeira.

Caminharam até a entrada do hall dos elevadores e subiram em um vazio, sem ascensorista inclusive.

Sempre sonhei com esse momento, encontrar meus dois grandes amigos. Você é tão linda Adriana –Swan ruborizou. E você,Willian, é tão sério quando fala que realmente parece um Demônio.

È, eu pensei que você fosse mais alto –Willian olhando o corpo desengonçado e baixo de Dario.

O escritório de Dario ficava no 10a do prédio. Todo o caminho foi silencioso. Quando Dario fechou a porta do gabinete e disse “sentem-se”,  Willian sentiu-se gelado.

Veja também:  Crônicas Ocultas do Clã DBOF: Cap7 pt1

Agora me digam o que vieram fazer aqui –disse enquanto caminhava até sua cadeira.

Nós viemos parar o que você está fazendo –falou Adriana.

Como? Parar o que? –Dario falou parecendo confuso.

Olha, Dario, em algum momento de hoje até o segundo dia de fevereiro você vai fazer alguma coisa que vai matar muita gente –Willian disse fitando Dario nos olhos.

Eu vou matar? Não entendo o que vocês estão querendo dizer.

No dia 23 agora, eu recebi uma mensagem de um amigo revelando que você destruiria… tudo o que existe –disse Willian.

E você acreditou? –Dario estava às gargalhadas. Escute Willian –falou enxugando os olhos com um lenço. Eu tenho muito planos para o futuro, mas nenhum deles envolve a destruição do mundo.

Engraçado falar do futuro, porque foi exatamente de onde minha fonte mandou a mensagem –Willian falou com um sorriso malicioso que fez Dario ficar bem mais sério. Sejamos francos, Dario, Você está planejando algo grande e isso vai ser uma coisa bem ruim para o resto do mundo.

Nós não sabemos o que exatamente, mas sabemos que você vai fazer alguma coisa –Disse Adriana.

Mensagem do Futuro? –Dario estranhou. Vocês estão ficando loucos, meus amigos.

Willian levantou-se em salto de sua cadeira em direção a Dario, puxando-o pela gola da camisa, ficando, assim, cara a cara com ele.

Eu sei que parece mentira, porém eu sei que você está fazendo algo grande e vai nos contar, antes que eu esmague a sua cabeça de Paraíba contra essa mesa! –Falou em tom fortemente ameaçador.

Willian, me solte –Dario falou calmamente, sendo obedecido em seguida. Então se é assim, eu vou lhes dizer os meus planos.

Estamos ouvindo –Disse Adriana cruzando os braços.

Há algum tempo, eu também recebi uma mensagem. Uma mensagem que dizia que o mundo estava prestes a ser destruído. Não por guerras ou pelo aquecimento global, isso são apenas conseqüências. Trata-se da maldade que habita o coração da raça humana. Maldade que estava sendo alimentada com tanto medo, fome, ódio e rancor neste mundo. E eu vi que o único modo de salvar este mesmo mundo é fazer com que uma nova ordem surja. Uma sociedade evoluída, onde não existirá miséria, fome, violência. Eu conseguirei tudo isso, se fizer um sacrifício.

Que seria? –Perguntou Will.

Eliminar toda a raça humana, com a exceção de alguns poucos milhares que serviriam para juntamente comigo montar a nova ordem mundial –falou calma e pausadamente, estando com os olhos cheios de lágrimas.

Adriana e Willian se entreolharam e voltaram a fitar Dario.

E quem foi que deu essa mensagem a você? –Perguntou Adriana furiosamente.

Uma notícia de jornal –Disse Dario.

Puxou a gaveta de sua mesa. Nela havia um recorte de jornal e uma arma no fundo. Dario ficou tentando a puxar ambos, pois não poderia haver erros em seus planos, contudo resolveu dar um pouco de crédito aos dois. Pegou o recorte e entregou a Adriana que o pôs em posição que Willian também pudesse ler.

Depois disso, ficou claro que o fim estava próximo –disse Dario observando as atônitas faces de Will e Swan.

E como salvaremos essas milhares de pessoas? –perguntou Will para surpresa de Adriana e Dario.

Adriana olhou Willian e acenou positivamente com a cabeça.

Venham comigo –Dario disse se levantando. Os levarei até minha fortaleza.

Continua…

Visite-nos no Gokut.

Veja também:  Crônicas Ocultas do Clã DBOF: Cap8 pt2

Incrível como os seres humanos em sua busca por amor, aceitação, glória ou poder ferem e magoam outros seres humanos, alguns distantes, outros próximos, tendo ou não essa intenção.

“Os fins justificam os meios” disse Maquiavel, Contudo, realmente há um fim? O objetivo a ser alcançado é apenas um ponto, a linha do tempo continua a correr. As conseqüências de nossos atos nos assombraram por todo o caminho depois da conquista de nossa meta. E uma verdade ainda mais assustadora pode sobrevir, será que o objetivo pode ser realmente alcançado, será como um busca ao Coelho branco?

Aqueles que partem em uma jornada devem aprender que durante esta nossos pés podem nos levar para caminhos muito além dos quais imaginávamos inicialmente, bem como obter novas metas. Se estas metas são maiores ou menores, melhores ou piores, saberemos quando enxergarmos o tipo de pessoas que nos tornamos em nossa peregrinação e o que ansiamos, desejamos, aquilo que nos torna completos.

Quando as respostas forem encontradas, a jornada terá terminado e dentro de nossos corações saberemos que o fim da jornada é o inicio de uma nova. Um ciclo que terminará apenas no instante em que todos neste planeta azul alçarem um fim coletivo.

Adriana e Willian partiram sem olhar para trás novamente.

Foram para um hotel e reservaram 2 quartos. Willian sabia que seu dinheiro não duraria muito, porém ainda conseguiria pagar por conforto alguns dias mais. Adriana estava tremendo, contudo não estava frio, muito pelo contrário, fazia um insuportável calor. Willian a observou por alguns instantes. Ela sempre lhe pareceu tão forte pela Internet que ele não a imaginara que ela ficaria tão abalada depois da discussão.

Adriana –Will chamou docemente. Vai ficar tudo bem, fique tranqüila.

Ela sorriu como se aquilo tivesse sido um elogio. Willian fora aquele que mais a irritara em 2008, quando a DBOF foi fundada. Seu jeito impulsivo, agressivo e com brincadeiras pesadas a deixava furiosa. Eles até mesmo empataram na votação para moderador, sendo ambos eleitos. Porém o tempo passou e Adriana viu nele mais do que um garoto de piadas maldosas, viu um homem capaz de liderar a DBOF, capaz de ser gentil ou severo na hora certa. Ela o admirava por isso.

Dormiram em seus quartos e acordaram tarde no dia seguinte. Embarcaram em um ônibus que os deixaria perto do gabinete pessoal de Dario. Chegaram por volta do meio dia e ficaram esperando em frente ao prédio onde ele trabalhava.  O avistaram perto da uma hora da tarde quando ele voltava do almoço.

Dário! –gritou Will.

O político olhou em volta e encontrou Adriana ao lado de um homem que pela descrição só poderia ser o Willian.

Adriana? Willian? O Que? –Dario estava confuso. Como vocês chegaram aqui?

Oi… –começou Adriana.

È uma longa história Dario –disse Will atropelando Adriana propositalmente, pois ela poderia falar demais. Podemos conversar em outro lugar?

Venham ao meu escritório –Dario ainda estava boquiaberto olhando de Adriana para Will, sempre demorando um pouco mais na primeira.

Caminharam até a entrada do hall dos elevadores e subiram em um vazio, sem ascensorista inclusive.

Sempre sonhei com esse momento, encontrar meus dois grandes amigos. Você é tão linda Adriana –Swan ruborizou. E você,Willian, é tão sério quando fala que realmente parece um Demônio.

È, eu pensei que você fosse mais alto –Willian olhando o corpo desengonçado e baixo de Dario.

O escritório de Dario ficava no 10a do prédio. Todo o caminho foi silencioso. Quando Dario fechou a porta do gabinete e disse “sentem-se”,  Willian sentiu-se gelado.

Veja também:  Crônicas Ocultas do Clã DBOF: Cap2 pt4

Agora me digam o que vieram fazer aqui –disse enquanto caminhava até sua cadeira.

Nós viemos parar o que você está fazendo –falou Adriana.

Como? Parar o que? –Dario falou parecendo confuso.

Olha, Dario, em algum momento de hoje até o segundo dia de fevereiro você vai fazer alguma coisa que vai matar muita gente –Willian disse fitando Dario nos olhos.

Eu vou matar? Não entendo o que vocês estão querendo dizer.

No dia 23 agora, eu recebi uma mensagem de um amigo revelando que você destruiria… tudo o que existe –disse Willian.

E você acreditou? –Dario estava às gargalhadas. Escute Willian –falou enxugando os olhos com um lenço. Eu tenho muito planos para o futuro, mas nenhum deles envolve a destruição do mundo.

Engraçado falar do futuro, porque foi exatamente de onde minha fonte mandou a mensagem –Willian falou com um sorriso malicioso que fez Dario ficar bem mais sério. Sejamos francos, Dario, Você está planejando algo grande e isso vai ser uma coisa bem ruim para o resto do mundo.

Nós não sabemos o que exatamente, mas sabemos que você vai fazer alguma coisa –Disse Adriana.

Mensagem do Futuro? –Dario estranhou. Vocês estão ficando loucos, meus amigos.

Willian levantou-se em salto de sua cadeira em direção a Dario, puxando-o pela gola da camisa, ficando, assim, cara a cara com ele.

Eu sei que parece mentira, porém eu sei que você está fazendo algo grande e vai nos contar, antes que eu esmague a sua cabeça de Paraíba contra essa mesa! –Falou em tom fortemente ameaçador.

Willian, me solte –Dario falou calmamente, sendo obedecido em seguida. Então se é assim, eu vou lhes dizer os meus planos.

Estamos ouvindo –Disse Adriana cruzando os braços.

Há algum tempo, eu também recebi uma mensagem. Uma mensagem que dizia que o mundo estava prestes a ser destruído. Não por guerras ou pelo aquecimento global, isso são apenas conseqüências. Trata-se da maldade que habita o coração da raça humana. Maldade que estava sendo alimentada com tanto medo, fome, ódio e rancor neste mundo. E eu vi que o único modo de salvar este mesmo mundo é fazer com que uma nova ordem surja. Uma sociedade evoluída, onde não existirá miséria, fome, violência. Eu conseguirei tudo isso, se fizer um sacrifício.

Que seria? –Perguntou Will.

Eliminar toda a raça humana, com a exceção de alguns poucos milhares que serviriam para juntamente comigo montar a nova ordem mundial –falou calma e pausadamente, estando com os olhos cheios de lágrimas.

Adriana e Willian se entreolharam e voltaram a fitar Dario.

E quem foi que deu essa mensagem a você? –Perguntou Adriana furiosamente.

Uma notícia de jornal –Disse Dario.

Puxou a gaveta de sua mesa. Nela havia um recorte de jornal e uma arma no fundo. Dario ficou tentando a puxar ambos, pois não poderia haver erros em seus planos, contudo resolveu dar um pouco de crédito aos dois. Pegou o recorte e entregou a Adriana que o pôs em posição que Willian também pudesse ler.

Depois disso, ficou claro que o fim estava próximo –disse Dario observando as atônitas faces de Will e Swan.

E como salvaremos essas milhares de pessoas? –perguntou Will para surpresa de Adriana e Dario.

Adriana olhou Willian e acenou positivamente com a cabeça.

Venham comigo –Dario disse se levantando. Os levarei até minha fortaleza.