Google

Crônicas Dragonball Evolution: This is Dragonball!!!

Por: M. Barreto

Se não quer ler sobre Dragonball Evolution, leia sobre: E se Dragonball fosse americano? e Goku Vs Superman.

Depois de mais de um ano escrevendo essas crônicas sobre Dragoball Evolution, chegamos finalmente à última delas. Espero que tenha sido proveitoso e divertido para vocês. É justo postar a última crônica no dia em que faz um ano da estréia de DBE.

Este filme é considerado por muito como uma aberração sem tamanho da FOX. Muito detestavam mesmo antes de assisti-lo, outros nem sequer chegaram a vê-lo depois de tantas criticas negativas.

Mesmo entre aqueles que gostaram da película, é unanimidade dizer que Dragonball Evolution está longe de ser o épico que Dragonball merecia ganhar na tela grande.

Contudo, para quem acompanhou desde a pré-produção e/ou o inicio das filmagens, viu cada foto e trailler, se decepcionou, vibrou, se apaixonou, choroudivulgou, lutou e fez amigos por causa desse filme, DBE terá sempre um lugar especial em nossos corações.

Vamos odiar eternamente James Wong e Ben Ramsey, ter sempre aquela desconfiança quando a FOX quiser adaptar outra obra, entretanto vamos sempre aplaudir as músicas de Brian Tyler e principalmente, vamos vibrar por cada obra em que os atores de DBE participarem.

Vamos à uma breve análise de cada ator e personagem:

Justin Chatwin = Goku

O Goku de DBE foi feito para ser diferente do original. Seria um estudante desencaixado socialmente que esconderia sua verdadeira força e habilidades de todos, posteriormente se tornando um poderoso artista marcial. Justin Chatwin fez isso com maestria e ainda levou esse Goku a um outro nível, o aproximando muito de sua real personalidade dos mangás. Se ele não fez exatamente igual ao anime/manga foi porque o roteiro não o deixou, pois sua atuação como Goku nos “momentos Dragonball” do filme foi muito boa. Como assim “momentos Dragonball”? Aqueles momentos em que você vê o filme e diz: Isso é Dragonball!!! (This is Dragonball!!!) Como a luta na festa da escola, a cena da casa do Kame e a luta contra Piccolo.

Veja também:  One Punch Man: TOP 10 melhores referências do anime

Emmy Rossum = Bulma

Com a falta de personagens para as cenas de ação, Bulma de DBE foi emancipada para estas cenas. Fora isso, Bulma continua linda, louca e genial. Emmy Rossum conseguiu se sair muito bem, tanto nas cenas de ação como nas de comédia. Aliás, sua personagem foi a  mais plural neste filme, teve cenas de ação, comédia, drama e romance. Depois de sua atuação, vai ser muito difícil desvincular Emmy Rossum de Bulma.

Chow Yun-fat = Mestre Kame

Uma coisa tem que ser dita, embora o roteiro de Ben Ramsey quisesse desvincular o filme do original, Chow Yun-Fat fez um Mestre Kame idêntico ao do anime! Todos os trejeitos,  e expressões foram totalmente iguais ao que se esperava de um Kame de carne e osso. Se por um lado, tanto as origens quanto o visual mudaram, a interpretação e as suas cenas de luta mostram realmente que Chow é um esplêndido ator.

Jamie Chung = Chi Chi

Se Goku é um colegial, porque Chi Chi não seria? Se no original ela é só um detalhe na vida de Goku, no filme ela é uma Mary Jane oriental. A mais popular e rica do colégio e uma lutadora em segredo, Jamie Chung fez um bom trabalho, porém não transcendeu o horrível roteiro e a direção.

Joon Park = Yamcha

Yamcha foi de longe o personagem mais descaracterizado do filme. Ao invés de um ladrão lutador do deserto com medo de mulheres, ele passou a ladrão espertinho do deserto. O personagem mais engraçado do filme, contudo poderia ter sido um pouco mais próximo do original para aumentar as cenas de luta. Mesmo assim, Joon Park fez com que o resultado final ficasse muito divertido.

Gohan, Mai e Fulluns

Randall Duk Kin saiu-se muito bem em suas cenas de Ben Parker Gohan. Tornou o nosso querido Vovô Gohan em um personagem bastante carismático, mesmo atuando em pouco tempo de filme. Mai foi uma adição tapa-buraco na trama, encurtando espaços que poderiam ser preenchidos por subtramas que alongariam e melhorariam o filme. Os Fulluns foram uma boa alternativa aos monstros originais de Piccolo, porém deviam ter aparecidos em mais situações.

Veja também:  Audiência de Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball Z na Rede Brasil

Sifu Norris, Carey Fuller e seus amiguinhos

Qualquer bom roteirista ou diretor, tendo como original uma obra consagrada como base iria colocar easter-eggs por todo o filme. Todavia, não foi o que houve em DBE. Ia quebrar a mão de Ben Ramsey dar o nome de Red Ribbon à gangue da escola ou a James Wong colocar uma fita vermelha no braço dos garotos? Temos mais de 10 personagens diferentes que poderiam ser colocados como Mestres de Kame, então me digam, porque inventar um Sifu Chuck Norris? Como eles não pensaram em usar Kami-samma, Mestre Karin, Mestre Mutaito? até o Senhor Popo serviria! Índios? Por que não usar Upa e Bora? Será que um terno em um ator loiro custaria muito caro para o papel de Juiz do torneio?

Kuririn, ninguém ligou pra mim

Sinceramente, às vezes acho que eles apostaram com Legend Of Chun Li qual filme vai descaracterizar mais o original. Em um templo cheio de monges, onde Goku teria que se tornar o homem mais forte do mundo para enfrentar Piccolo, porque não inserir Kuririn como seu concorrente a escolhido ou de qualquer outra forma? Seriam 10 ou 20 minutos a mais de filme, focando na acirrada disputa dos dois que levaria Goku a se tornar muito mais forte. Até entendemos o porque de não haver um Tenchin-han, pois seria gasto muito dinheiro no Computação Gráfica do terceiro olho. Não ter Chaoz, Yadirobi, Oolong, Pual, tudo bem, a gente aceita, mas não ter o segundo protagonista da história já é querer chamar os fãs de Dragonball (Z) de palhaços.

James Marsters = Lord Piccolo

James “Piccolo” Marsters deu um show a cada cena que participava, a cada fala os fãs presenciavam um grande show de atuação. Maquiagem belíssima, uma voz Vadesca (de Darth Vader) e “presença de palco” tornariam James Marsters um vilão a ser lembrado. Porém, Piccolo quase não teve grandes cenas. Sendo o único que poderia ter salvo o filme do fracasso econômico que foi, James Marsters não atuou nem metade do tempo que deveria. Sua única luta com Goku foi rápida demais, nem ao menos deu tempo de empolgar. James Wong deveria rever o seu conceito quanto ao que é realmente pertinente ou não à um filme, pois retirou a maior parte das cenas de Piccolo.

Veja também:  Filme do Pantera Negra já em fase de pré-produção

No final, o ki blast entre Atores, fãs, compositor, programadores e os malévolos Mr. Wong, Dark Ramsey e a entidade FOX pendeu para o lado do mau e Dragonball Evolution rendeu apenas 57,5 milhões com 25 milhões investidos.

O mundo dos animes live action não foi salvo dessa vez, quem sabe a possível continuação Dragonball Reborn melhore essa situação! (se ela existir).

Todas as 8 partes abaixo:

Dragonball – O Filme

Son Goku

Mestre Kame

Bulma

Lord Piccolo

Roteiro

Direção e Arte

Nota do Editor: Sinto muito orgulho de ser moderador da melhor comunidade sobre este filme, de ter feito inúmeros amigos através dele e tenho muito orgulho em dizer: Fui na estréia e esse foi um dos melhores dias da minha vida.

Adicione-nos no Youtube, Facebook e Twitter.

Leia Também:

Yu Yu Hakushô, o Anime Perfeito

ThunderCats 2011: Conheça os personagens e o resumo da história de cada um!

Cavaleiros do Zodíaco: Bandai fará armaduras em tamanho real!

Harry Potter e o retorno ao mundo da fantasia

Quando o Pokémon não evolui

3 Comments