Google

The Flash: Erros e acertos do início da segunda temporada

Em 2014, após muitas dúvidas e medo por parte dos fãs, a série The Flash finalmente estreava. Nós, do Heroi X, fizemos nossa analise, o HEROFIRST do primeiro episodio de The Flash e nos surpreendemos com o resultado. No inicio de 2015 a série terminava sua temporada com um saldo positivo, além de introduzir temas como a Força da Aceleração, viagem no tempo e, nos 45 minutos do segundo tempo, o multiverso. Agora, o aguardado retorno trazia expectativas e promessas para a segunda temporada de The Flash.

The Flash segunda temporada

The Man Who Saved Central City (O homem que salvou Central City) começa seis meses depois dos eventos ocorridos ao final da primeira temporada. A cidade foi salva da singularidade. Flash Reverso não é mais uma ameaça, mas algo ainda assombra nosso herói escarlate. Apesar da cidade ainda não conhecer seu herói, eles instituem o Dia do Flash e depois de muito relutar, Barry Allen veste seu uniforme e faz sua aparição ao evento como o herói que se tornou.

Nota do editor Dr. Mauricio Barreto: Infelizmente, os produtores não exerceram muita sua criatividade neste episódio: Fizeram um fim de temporada igual ao Arrow (a terceira ponta do triângulo amoroso morrendo, Tommy Merlin e Eddie Thawne) e inicia como aconteceu com Arrow, com Barry se isolando dos amigos.

Um novo meta-humano aparece e impõem dificuldades ao Flash, que não consegue derrota-lo. Devido ao final do ultima temporada, Barry afastou toda sua equipe de suporte, e desde então, tem enfrentado os perigos sozinho. O novo vilão foi nomeado, pelo Dr. Stein, de Esmaga-Átomo e tem o poder de absorver radiação e se tornar mais forte e gigantesco (vindo diretamente das HQs). O mistério surge quando a identidade do vilão é revelada, e descobrem que ele é um funcionário de uma usina, que foi encontrado morto e alvo de investigação de Joe e Barry. Nesse ponto, sutilmente, se inicia a formação concreta de um multiverso.

Veja também:  Once Upon a Time – O Era uma vez como nunca foi, mas deveria ter sido

Team Flash

Como era de se esperar, toda a trajetória do ano um de Flash o estava afetando psicologicamente, e como todo bom herói, achou que sua jornada era solitária, até o ponto de que ele foi forçado a ver a verdade: Flash era o resultado de uma equipe, e não somente de seus poderes. Esse momento de “Luz” se deu após Barry ver, por uma ultima vez seu antagonista através das eras, Dr. Wells (Eobard/Flash Reverso). Em seu vídeo póstumo, nós podemos notar que Eobard Thawne adquiriu carinho por Barry, indo de encontro com sua missão e ódio pelo Flash que conhecia do futuro. E talvez, por esse carinho, ele tenha dado a Barry o presente que ele mais queria: A liberdade de seu pai.

Nota do Editor Doc Barreto: Esse episódio começa com o mesmo texto da primeira temporada, o que me leva a dizer que: Este episódio deveria ter sido encaixado de alguma forma no fim da primeira temporada e não no início da segunda!

O primeiro episódio da segunda temporada de The Flash utilizou bem os flashbacks para explicar eventos anteriores sem comprometer a jornada para o desenvolvimento do segundo ano. Ainda não foi possível observar uma melhora de poderes em Barry, mas é claro que essa temporada será um ano de desafios. Com a introdução da Terra-2, podemos esperar roteiros mais elaborados, mas que sigam a linha que foi usada na primeira temporada, a linha da simplicidade, sem nada muito complexo e que atenda os fãs já conhecedores da mitologia de Flash e também os novos fãs. A alusão mais clara a esse novo rumo Terra-2 foi a introdução do primeiro Flash conhecido, Jay Garrick, que ficou uma aparição muito fraca.

Veja também:  HEROFIRST 9: Legends of Tomorrow ou a Liga da Justiça fracassada?

The Flash jay garrick capacete helmet

Olha o Doc vindo igual a um Flash: Há dois grande problemas nesse início de temporada. Primeiro, a morte de Eddie e consequentemente, a não existência de Eobard Thawne, deveria zerar a linha temporal vista na primeira temporada. Sem Flash Reverso, a mãe de Barry não morreria e ele não se tornaria o Flash naquele ano e aquelas aventuras não teriam acontecido. Os produtores, por exemplo, poderiam fazê-lo acordar em sua cama com seu pai, Henry Allen, o acordando em sua cama e Barry descobrindo que o mundo mudara, mas sua mãe foi morta de outra forma e ele estaria sem poderes. Mas digamos que “o que aconteceu, aconteceu”. O segundo erro foi a introdução de Jay Garrick. Para quem não é mega Nerd, ou seja, 90% do público de The Flash, seria muito melhor que ele respondesse a “quem é você” com “Eu sou o Flash”. Seria épico!

Esperamos que essa temporada melhore e que nos dê a mesma satisfação da primeira, afinal, The Flash é a única série da DC que pode bater de frente com Demolidor da Marvel. Talvez nesta temporada já possamos ver uma versão Nevasca de Caitlin Snow na Terra 2, Cisco Ramon vestindo seu uniforme de Vibro e, quem sabe, o início de uma Liga da Justiça.

Trailer:

PS: Assista ao HeroTv 3 que é todo voltado para as duas série mães do Universo DC serial, Arrow e Flash.

Adicione-nos no FacebookYoutubePinterestTwitter (Patrick Duarte) e entre no grupo HEROPOWER! Ah e não esqueça de visitar o Pensamento Livre!

Leia também:

Quem São: Cisco Ramon e Caitlin Snow – série Flash

Quem é Jessica Jones – Marvel Alias

Universo DC Cinematográfico dará certo após Batman v Superman?

Marvel anuncia Homem Formiga e Vespa e três novos filmes até 2020

Goku vs Superman: O encontro de dois mundos

Com a palavra você está